Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com.br Rua São João, 869,  14882-010, Bairro Aparecida Jaboticabal SP
LOCKDOWN DECRETADO. E AGORA? O aumento espantoso dos casos de COVID- 19 não somente no Brasil mas em todas as cidades, inclusive em Jaboticabal, determinou que a Administração Pública adotasse medidas sanitárias mais rigorosas. O ambiente que já estava em estado de alerta inclusive com o fechamento dos serviços considerados não essenciais, teve a decretação do Lockdown. A medida adotada em Jaboticabal seguiu o modelo e padrão da cidade de Ribeirão Preto e estendeu-se para algumas cidades da região metropolitana. Sem qualquer ato preparativo dirigido a população, foi divulgado na tarde da ultima terça feira (16) as 14h pontualmente o Decreto 7.350 de 16 de Março de 2021. Resultado,  pânico tomou conta da população que correu desordenadamente aos Mercados e compraram tudo o que puderam. Filas enormes, aglomeração de pessoas e certamente o resultado desta ação será vista daqui a 15(quinze) dias. Mais pessoas infectadas. A regularização de horário do comércio não pode ser confundida com flexibilização como muitos entendem. Alguns municípios tem adotado a regularização de horário do comércio e tem enfrentado a pandemia, não caracterizando com isso leviandade, mas enfrentamento com responsabilidade social. A Prefeitura de Uberaba MG é exemplo claro de que é possível manter os padrões sanitários e o desenvolvimento das praticas comerciais e sociais sem causar colapso na cidade. Alguns exemplos: Bares, restaurantes, distribuidoras e lanchonetes: podem funcionar via delivery e/ou retirada no balcão, sem restrição de horário. Ficam proibidas a venda de bebidas alcoólicas após as 20h, mesmo em delivery, e aglomeração na porta. A recomendação é que as pessoas optem pelos pedidos via delivery. Supermercados, varejões, açougues e conveniências: estão permitidos a funcionar até as 20h, respeitando a capacidade máxima de ocupação. Fica proibida a aglomeração nos locais. A recomendação à população é evitar sair para compras. Exercícios físicos: podem ser praticados individualmente ao ar livre. Personal fica permitido com distanciamento. A prática em ambientes fechados e exercícios em grupo continuam proibidos. Parques e praças: podem funcionar apenas para a prática de esportes individuais. Estão proibidos aglomerações e sentar-se em bancos. Os clubes podem funcionar apenas para a prática de esportes individuais em espaços abertos. Salões de beleza e barbearias: o atendimento é permitido em horário individualizado e com agendamento prévio. Recomenda-se um intervalo de 20 minutos entre clientes para higienização. Ficam proibidos clientes em sala de espera, exceto acompanhante de menor idade. Evidentemente que cada cidade deve avaliar a sua realidade e verificar onde está o centro de disseminação da doença. Na periferia está mais evidente que as pessoas não se cuidam. Ao caminhar pelo centro da cidade verifica-se que muitas pessoas não estão utilizando máscara de proteção. E quando caminhamos pela periferia não é diferente. Questiona-se: - Como está sendo feita a campanha da Administração Pública para que esta parcela da população tenha condições de prevenir e evitar o contágio? – Por que as pessoas não estão utilizando as máscaras de proteção?  As Campanhas para a utilização e de doações de máscaras poderiam ser intentadas e fomentadas novamente pela Prefeitura Municipal. As festas clandestinas e edículas com as aglomerações desafiadoras à fiscalização. Senhores, as multas são muitos leves e a responsabilidade deve ser também do proprietário do imóvel. Não há espaço para conversas e amizades politicas nesta altura do campeonato. Não há espaço para orientações ao serem flagrados. O que orienta é o Decreto público. A aplicação de multas com valores bem maiores aos responsáveis, público presentes no local e ao proprietário do imóvel talvez coibirá a prática de tais aglomerações com eficácia. A população pode ajudar tirando fotos filmando e entregando aos órgãos oficiais com data e local onde está ocorrendo os fatos para posterior investigação por parte da policia. Podem fazer uso do disque denúncia pelos telefones disponibilizados no site da Prefeitura Municipal de Jaboticabal16 -99784-2169 e 16 99628-0332. Se um dos problemas é falta de gente para fiscalizar, que a Prefeitura contrate mais fiscais. - É possível? Sim, estamos vivendo uma pandemia e em estado de calamidade pública, e as contratações; nestas condições, é plenamente possível. Não dá para fiscalizar a cidade inteira com “meia dúzia” de fiscais. O alvo da fiscalização ao que parece, é o mais fácil de localizar. Não adianta fiscalizar o Comerciante, mandando abaixar as portas e trabalhar como se fosse um bandido. O Comerciante não consegue desenvolver suas atividades se não vender seus produtos, seja por delivery ou por meio de Drive tru. O Comerciante é responsável por mais de 60% da mão de obra em Jaboticabal, recolhe aos cofre públicos mais de 75% da arrecadação Municipal. – Como vai continuar? As reservas que possuíam, acabaram não existe mais nenhum alento a não ser continuar trabalhando no popular “vendendo o almoço para comprar a janta”. Não se pode admitir que nossa cidade chegue as dificuldades por que passa a cidade de Aparecida do Norte em que o Prefeito em uma entrevista esta semana declarou que mais de 70% da população está desempregada. Além da calamidade pública por que está passando em vista da pandemia instalou-se lá o caos. Disse ele em entrevista divulgada pela Jovem Pan (17/03) que: “Pessoas que antes eram autossuficientes estão pedindo ajuda, estão solicitando cestas básicas para não passarem fome”. Diante do cenário permanente e incerto não somente em Jaboticabal, o comerciante desenvolveu habilidades tendo em mente que a pandemia ensinou a ficar longe da zona de conforto e que o aprendizado fortaleceu pessoas e empresas. Esta classe não desiste nunca e tem como lema: - “O segredo é não desanimar”. O comerciante está fazendo a sua parte. As ações de manter-se conectado, informado, se inteirar a cada instante do que o seu vizinho está fazendo, seu concorrente, seu parceiro, seu setor e estabelecer conexões produtivas que possam trazer iniciativas para enfrentar as crises, mas a conexão da “Administração pública municipal” está aquém do que deveria acontecer.  Enquanto a vacina não chega para todo mundo a prevenção é o melhor caminho. As vagas de leitos UTI para COVID-19 em Jaboticabal estão no limite e a doença aumenta a cada dia. De acordo com o Boletim Municipal COVID-19 (dia 18/03) registramos 3.624 casos confirmados e 106 óbitos. Um dado preocupante, a doença se modificou atacando agora não como anteriormente atacava. Existia Grupo de risco, faixa etária, comorbidades e agora os infectados são pessoas das mais diversas faixas etárias e para nosso espanto, acabam se tornando estatísticas que antes não apareciam nos boletins informativos da Prefeitura Municipal. A discussão sobre tratamento precoce não tem espaço nas esferas do Executivo e legislativo. Estamos em uma guerra e toda arma por mais obsoleta que possa parecer deve ser utilizada. Existem estudos científicos dos dois lados que desqualificam e outros que consagram este tipo de tratamento como eficiente. - Por que não? O custo do tratamento precoce é ínfimo. Por um lado temos médicos que detestam o assunto, outros Médicos utilizaram o tratamento não precoce e administraram ao sentir os sintomas da COVI-19 que é o caso do médico do Governo Dória David Uip, e certamente outros que mantém o anonimato. Não há negacionismo neste pensamento e já comentamos isso anteriormente. Todos sabem da gravidade da doença e querem a vacina, mas ela está um pouco longe de nós. A fomentação deste assunto entre Prefeitura e Câmara Municipal pode se tornar realidade. Deve-se Convidar o Vereador que ajudamos a eleger a tratar sobre o assunto livre de preconceitos ideológicos e opiniões formadas sobre este ou aquele tratamento. Ao Prefeito, fica a sugestão para fomentar junto a Secretaria de Saúde em conjunto com a sociedade civil organizada, discussão e possibilidade deste tratamento.   Enquanto a Prefeitura Municipal não lançar medidas para dar suporte a economia da classe que mantém Jaboticabal de pé, estas ações restritivas apenas serão mais “uma pedra” dentro do balde preso no pescoço do comerciante que está afundando a cada dia. As isenções de algumas taxas, emolumentos, parcelamento de dividas suspensão de cobranças de impostos podem ajudar os contribuintes. Não se trata de renúncia fiscal, mas de atos que podem auxiliar os que estão sobrecarregados de tantos custos fixos. O mês inteiro os empresários pagam impostos e mantem seus funcionários com pagamento em dia. Enquanto a vacina não chega a prevenção é o melhor caminho. A utilização de máscaras, álcool em gel e distanciamento social são condições básicas sanitárias que ninguém poderá dispensar. Quanto ao Lockdown decretado em nossa cidade espera-se sinceramente que traga bons resultados.
FALANDO SÉRIO
João Martins Neto *
*Dr João Martins Neto é Advogado em Jaboticabal SP
facebook do autor EBC e Cronica e Arte
CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO
*Dr João Martins Neto é Advogado em Jaboticabal SP