Home Música Noticias Literatura Contatto Serviços Pagina 8 Livros Outros...
Cronica e arte

CRONICA E ARTE  CNPJ nº 21.896.431/0001-58 NIRE: 35-8-1391912-5 email cronicaearte@cronicaearte.com.br Rua São João, 869,  14882-010, Bairro Aparecida Jaboticabal SP
VIVEMOS EM TEMPOS QUE VIROU ROTINA TER QUE DEFENDER O ÓBVIO No início do mês de Maio em todo território brasileiro houve manifestações contra a corrupção, Cidades registraram carreatas e passeatas que pediam vacinas, direitos trabalhistas e volta do pagamento do auxílio emergencial de R$ 600. Manifestantes favoráveis ao governo criticavam o Supremo Tribunal Federal e pediam volta do voto impresso e fim das restrições sanitárias. Os grupos que participaram das carreatas levavam bandeiras do Brasil e muitos vestiam roupas em verde e amarelo. Locutores encima de carros de som pediam também entre outras coisas o fim dos super salários e do financiamento público das campanhas eleitorais. "Queremos um Brasil livre da corrupção!", dizia faixas e cartazes  expostas pelos manifestantes em todas as cidades onde ocorreram as manifestações. No dia 15 de Maio também houve manifestações a favor do Governo Federal e questionamentos de grupos de oposição. O que ficou registrado também é que a mídia tradicional não deu a cobertura dos eventos de forma plena, restringindo-se a divulgação de tais eventos apenas pelas mídias sociais.   Estamos acompanhando a instalação da CPI COVID 19 em que a composição da Comissão está nas mãos de quem não detém o mínimo de condição moral para conduzir os trabalhos com a isenção e imparcialidade necessárias. A CPI (Comissão Parlamentar de Investigação) é um instrumento de nosso Estado Democrático muito importante para a apuração de irregularidades, porém, a presente Comissão pode passar para a história como um instrumento inócuo que não trará nada de útil. Vivemos defendendo diariamente o fim da corrupção o que evidentemente deveria ser algo que os homens públicos, e antes de qualquer coisa, as pessoas que ocupam os cargos públicos trazer em seu caráter limpos deste desvio. A corrupção está evidente em todos os setores, e com mais evidencia na administração pública nas suas esferas de atuação, Executivo, Legislativo e Judiciário. A contratação de amigos e parentes pelos gestores é a todo instante denunciada ao Ministério Público e as saídas apresentadas pelos agentes públicos são as mais variadas, desde justificativas e defesas que acabam por denotar através das decisões que a sociedade é idiota.  Por tais ações, estes agentes acabam por subestimar a inteligência alheia. A falta de compromisso de Governantes com o erário público gastando verbas que eram destinadas a ações de combate e enfrentamento pela saúde pública a COVID 19 traduzem a ação criminosa eis que muitas pessoas acabaram mortas  e estão morrendo sem a devida condição de tratamento e a falta de vacina. É necessário ficar todo dia defendendo esta condição. Temos que a todo instante defender e afirmar os valores morais e familiares, ante a ampla divulgação e violência defendida por movimentos de alguns grupos sociais o que acaba por causar desgastes desnecessários. O líder do MST Stédile disse em entrevista que “as invasões de terras pararam de acontecer com medo do Presidente da República”, mas que “não quer dizer que o movimento acabou”. O Movimento MST foi criado no ano de 1984 com o objetivo de favorecer e efetivar a reforma agrária, mas o desenvolvimento e a atuação deste importante Movimento Social acabaram por cair também no descrédito às vistas da sociedade, vez que rotineiramente via-se nas reportagens televisivas a destruição de propriedades produtivas e a matança de animais, que incluíam ateamento de fogo em sedes, deixando cena de terror e horror. A desculpa do Líder do MST tem um pouco de razão, mesmo porque o Governo Federal tem a forma de enfrentamento contra a balbúrdia implementada, e neste caso, não houve a utilização da violência, assim como tenta transparecer Stédile em suas declarações. No presente caso houve por parte do Governo Federal o fechamento da torneira de verbas que eram destinadas para a sustentação do movimento social, que não estava desenvolvendo corretamente a sua função social que foi criada. Certamente a ideologia ventilada na criação do movimento social que visava a reforma agrária passou a ser desvirtuada e a sociedade passou a cobrar o óbvio. Os questionamentos passaram a ser constantes e que levavam a perguntas e conclusões porque razão, aos assentados pelo movimento em muitas propriedades rurais para produção familiar não residiam nas mesmas. Teriam então propriedades urbanas? Precisavam mesmo de tais assentamentos?   Em nosso Município o questionamento do óbvio passou a ser constante também. - Qual a razão de serem atendidas pessoas com sintomas da COVID 19 no mesmo espaço que pessoas com sintomas de outras intercorrências médicas no mesmo lugar, a UPA?     Certamente outras obviedades estão sendo questionadas por nossa sociedade e esperando que os senhores gestores tenham hombridade, honestidade e presem por manter suas reputações ilibadas, condição esta que deve estar implícita nos homens públicos, sem contar com a demonstração da ética e sua prática pelos administradores na condução de seus cargos, sem a necessidade de se questionar o que é óbvio.   
FALANDO SÉRIO
João Martins Neto  Mtb 0091259 SP
*Dr João Martins Neto é Advogado e jornalista em Jaboticabal SP
facebook do autor e EBC
*Dr João Martins Neto é Advogado e Jornalista em Jaboticabal SP